Notas ao café…

Quem paga a conta?

Posted in notas ao café by JN on Março 7, 2010


“We The Payers”
Mr. Fish, «Clowncrack.com»

Salvar o mundo e a sua economia tem, como é óbvio, um preço. A grande questão para todos, políticos e em especial contribuintes, é quem vai pagar? Como escreve a The Economist a lista de “candidatos” pode diferir de país para país mas de uma forma geral inclui os contribuintes, os funcionários públicos, pensionistas e beneficiários do estado, investidores estrangeiros e as futuras gerações.

O combate já começou; basta ver as greves no sector público na Grécia, recentemente em Portugal, e o movimento “Tea Party” nos EUA. E dentro do candidato “contribuintes” as linhas de batalha já começaram a ser desenhadas: em muitos países da Europa estas são entre sector privado e funcionários-públicos e entre aumentar impostos e cortar na despesa pública, muitas vezes à custa dos salários do últimos — os “culpados” do costume. Politicamente, a luta é mais equilibrada: aqui vemos as uniões sindicais contra os “grandes contribuintes” — empresas e altos-quadros — que geralmente têm a atenção do governo.


Frederick Deligne

Escreve a The Economist:

[…] The state had to step in during the credit crunch, given the scale of the banking crisis, but this expansion of its scope should be temporary. This is not just ideological bias on our part; economic studies suggest that fiscal adjustments that rely on spending cuts do better than those based on tax rises. Yes, some tax rises may be necessary, if only out of the political necessity of persuading the electorate that the burden is being shared. But tax rises, like Japan’s in 1997, can kill a recovery.

In the past some governments have dealt with debts by walking away from them. Iceland is voting on a milder form of that solution this weekend (see article). The graver threat this time is that countries are tempted to diminish their debts through higher inflation. But that would be a dangerous option to adopt and may not even be possible, given that markets can see such policies coming and demand higher bond yields.

Whichever path governments choose will be hard. As a period of loose credit gives way to an era of austerity, the social cohesion of many nations will be put to the test. Not all countries will pass. Over the next few years the careers of many politicians will be made and broken in the bond market.


Jiho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: