Notas ao café…

O após McChrystal

Posted in notas ao café by JN on Junho 30, 2010


Chappatte, «International Herald Tribune»

Junho foi o mês que registou o maior número de baixas na força internacional este ano, com pelo menos 100 mortos. O General Stanley McChrystal, depois de um infeliz artigo na Rolling Stone que o citou a troçar da liderança civil e ter revelado que a sua cerveja favorita é Bud Light Lime, foi demitido e substituído pelo General David Petraeus, que mais uma vez é o homem de serviço do Presidente Obama. Apesar de poder ser considerada uma “despromoção”, o General aceitou e é dele agora, como novo comandante no Afeganistão, a difícil tarefa, como escreve a Time, de rever ou manter a estratégia delineada por McChrystal.

No entretanto surgem rumores que o prazo para a retirada do Afeganistão pelas forças americanas, previsto para o verão de 2011, pode não significar uma “retirada efectiva”, mas sim um “período de transição”; segundo o New York Times, os rumores que surgem na Casa Branca sobre a retirada (ou não) do Afeganistão, está a levantar muitas questões sobre o que se irá realmente passar no verão de 2011.


Parker, «Florida Today»

Numa situação já de si complicada, uma reportagem do The Wall Street Journal afirma que a ajuda humanitária que chega ao aeroporto de Cabul é desviada para outros fins e outra no Washington Post escreve que membros do governo afegão estão a impedir as investigação a actos de corrupção, estão a colocar em causa futuras ajudas humanitárias por parte dos EUA. Ao mesmo tempo um relatório de Arnold Fields, Inspector Geral para a Reconstrução do Afeganistão, aponta para graves deficiências das forças de segurança do Afeganistão, a sua falta de eficácia e elevados níveis de corrupção. Talvez seja dentro deste contexto que Ronald E. Neumann escreve, na Foreign Policy, que a primeira tarefa do General Petraeus tem que ser a reforma da polícia afegã, que Neumann descreve como corrupta e ineficaz.

A The Economist escreve que o problema não é o “despedimento” de McChrystal, mas sim o facto de a guerra no Afeganistão — a mais longa campanha militar americana desde o Vietname — poder ser já uma guerra perdida. Um relatório de McChrystal para Petraeus divulgado pelo The Independent coloca este facto em evidência; no seu relatório o General McChrystal dizia que desde Fevereiro, altura em que a ofensiva americana teve inicio, não tinha havido qualquer progresso no terreno nem se esperava algum nos próximos seis meses.

Tanto o Presidente Obama como o General Petraeus já colocaram de parte a “vitória” militar no Afeganistão sobre os Taliban e esperam agora pela possibilidade de um acordo com estes, no qual estaria envolvido o Paquistão, cuja influência no Afeganistão é cada vez mais sentida. Os próximos meses não serão fáceis para o General Petraeus; No Congresso o General afirmou que o pior no Afeganistão ainda poderá estar para vir e que a presença americana neste país ainda poderá ser longa. Acredita que tecnicamente a guerra ainda não está perdida, mas salvar esta guerra é algo que poderá estar acima das possibilidades deste militar, mas poderá sempre salvar ainda algo.


Olle Johansson

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: