Notas ao café…

A geopolítica do iPhone

Posted in notas ao café by JN on Julho 21, 2010


Milt Priggee

Brian Fung escreve sobre a forma como os novos aparelhos da Apple, e similares, estão a mudar a geopolítica do mundo e nem sempre para o melhor. Fung começa no início, num dos materiais necessários para a construção de um iPhone e de todos os telemóveis, computadores portáteis e outros dispositivos electrónicos: o coltan;  um material praticamente desconhecido até há pouco, transformou-se no novo ouro negro do continente africano, especialmente na República Democrática do Congo. Sob a vigilância das milícias rebeldes, até as crianças extraem este material de forma perigosa nas minas.

Fung prossegue nos locais de produção; a maior parte do iPhones são fabricados na China por uma empresa com sede em Taiwan, a Foxconn que recentemente se viu forçada a aumentar os salários dos seus funcionários chineses em 30 por cento após uma série de suicídios nas suas fábricas. Fung destaca ainda o papel crescente que o novo iPhone tem nos meios militares e o papel positivo na Educação com as enormes possibilidades que se abrem com o ensino à distância.

Na Newsweek, Alan Mascarenhas levanta mais uma vez a questão do coltan e de outros minerais extraídos das minas no Congo controladas por diferentes milícias e que não olham a meios para os obter:

[…] Hewlett-Packard, for example, says, “[T]hese issues are far removed from HP, typically five or more tiers from our direct suppliers.” Nonetheless, it “expects” suppliers to operate in a manner that does not directly support armed conflict. The company also claims to possess repeated assurances from capacitor suppliers that they do not use Congo-sourced tantalum (although it remains unsure where the tantalum comes from).

Replying personally on his iPhone to a concerned customer last month, Apple CEO Steve Jobs made similar points: “We require all of our suppliers to certify in writing that they use conflict-[free] materials. But honestly there is no way for them to be sure. Until someone invents a way to chemically trace minerals from the source mine, it’s a very difficult problem.” And Microsoft has said that a “conflict mineral free supply chain is a priority.”

The minerals trade already suffers from a lack of international enforcement. A U.N.-approved certification scheme known as the Kimberley Process currently operates to prevent blood diamonds from entering mainstream markets (one requirement is that diamonds be shipped in tamperproof containers). […]


Oguz Gurel

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: